19/05/2011

Digerindo 08: Espécie X Gênero

Olá cozinheiros e aspirantes a arquivistas! Hoje o blog PALADARQ vai tentar explicar dois ingredientes que vem causando muita confusão nas nossas cabeças. A idéia surgiu a partir do comment do nosso monitor Jonathan, onde ele falava que a turma estava tento dificuldades em diferenciar gênero de espécie documental.


Segundo o Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia espécie documental é uma “subdivisão de uma classe (ou gênero) de acordo com atributos comuns que permitem reunião de seus componentes em grupos distintos”. Ele também define gênero como “Grupo de elementos que podem ser divididos em espécies”.
Essas definições são bastante genéricas e não auxiliam na compreensão de gênero e espécie documental. Por meio de uma busca em minha pequena “biblioteca particular” sobre o tema, encontrei algumas definições relevantes que vou expor a seguir.

A Professora Drª Heloísa Liberalli Bellotto possui várias obras publicadas sobre o tema arquivos permanentes e matérias pertinentes a documentação de terceira idade. Consultado o exemplar de Arquivos Permanentes, Tratamento Documental encontrei uma definição de espécie documental inserida no contexto da análise diplomática e tipológica dos documentos de arquivo, que seria a “configuração que assume o documento de acordo com a disposição e a natureza das informações nele contidas” (pág.52). Porém nessa obra não localizei uma definição para gênero documental.


O esclarecimento da questão foi obtido também de uma obra da Profª Bellotto intitulada Diplomática e Tipologia Documental em Arquivos. Nela é dedicado um capítulo inteiro para tratar do tema “espécies documentais” e a definição principal é a mesma reproduzida no livro Arquivos Permanentes, porém acrescida de uma informação importante: “A espécie documental diplomática é a espécie documental que obedece a fórmulas convencionadas, em geral, estabelecidas pelo direito administrativo ou notarial”. Já gênero documental para a Profª Bellotto é a “configuração que assume o documento de acordo com o sistema de signos utilizados na comunicação de seu conteúdo”.

Conclusão:

Entende-se então que, tanto o gênero quanto a espécie documental são conceitos da análise diplomática dos documentos de arquivo que visam atestar a autenticidade a partir da análise dos caracteres do documento. No caso da espécie documental o ponto analisado é o da disposição dos caracteres. São exemplos de espécies documentais, ainda segundo a Profª Bellotto abaixo-assinado, acórdão, acordo, alvará, assento, ata, atestado, ato, comunicado, certificado, cheque, e outros.
Já no caso do gênero documental o cerne reside no meio utilizado para a veiculação da informação (exemplos: textual, iconográfico, imagético, sonoro, audiovisual, informático, e outros).

Por: Caroline Sodré

Fonte:
BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos Permanentes: tratamento documental. 4ª Ed. FGV Editora, 2006.
BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Diplomática e Tipologia Documental em Arquivos. 2ª Ed. Briquet de Lemos, 2008.
CAVALCANTI, Cornélia Robalinho de Oliveira; CUNHA, Murilo Bastos da. Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Briquet de Lemos, 2008.

1 comentários:

John disse...

Está ai uma dúvida de vários alunos que vocês acabam de matar õ/

Postar um comentário